Linda jogadora de CS:GO na minha cama [+18]

Chego em casa e me encaminho para o quarto, doido  para tirar a roupa social que usei durante todo o dia. Quando entro, me deparo com ela deitada na minha cama. Sua bunda praticamente exposta para o alto, com uma calcinha de renda vinho, me faz latejar na hora. Os fones no ouvido a impedem de ouvir quando me aproximo. O notebook está na cama, ao lado do mousepad e do mouse de jogador que ela comprou dois dias antes. Na tela uma partida de CS está se desenrolando.

— Porra Sr. Xam, ou larga a bomba ou vamos pro A armar logo! — diz.

Rio da situação. Ela consegue ser mandona e marrenta até com pessoas que não conhece. Lembro que quando comprei o CS, uma semana atrás, não esperava que suas horas livres fossem todas dele.

Tiro minha roupa sem ela perceber e fico apenas de cueca, pacientemente aguardando a partida acabar.

— Caralho, Xam! Como você me deixa cuidando da bomba sozinha? Pelo amor de Deus, alguém pode banir esse cara? — Reclama.

Subo na cama e começo a beijar sua bunda antes que ela olhe para trás.

— Que susto!   — Diz, tirando os fones.

—  Boa noite, linda. Será que tem tempo na sua agenda para mim ou agora você só tem tempo para jogar? — Pergunto, agora alisando sua bund.

— Depende. O que você quer fazer comigo? Dependendo da proposta, eu arrumo um tempo. — Ela responde, virando o corpo para cima e sorrindo maliciosamente.

— Talvez um pouco de carinho. — Falo, levando a mão para o meio de suas coxas e acariciando.

— Hmmm.  — Ela estremece.  Na verdade, eu tenho que terminar aqui. Faltam 4 partidas e eu não posso abandonar, preciso de XP.

Me sinto desapontado e ela se vira para retornar o jogo. Eu começo a acariciar todo seu corpo e sinto que ele responde a mim. Ela não se comunica mais com a equipe, apenas escuta o que estão dizendo.

Levo minhas mãos novamente ao meio de suas coxas e chego a calcinha para o lado. Brinco mais intensamente e percebo que o microfone foi desligado. Ela tenta não demonstrar, mas toda sua concentração já se foi. Tiro toda sua calcinha e a jogo para fora da cama. Retorno as carícias e agora dou alguns beijos em sua bunda.

Ela desiste do jogo e fecha o PC com força. Rápida como um guepardo, ela vem para cima de mim e começa a me beijar, fechando as pernas em minha cintura e rebolando gostoso, me provocando.

— Fica mais gostoso se não houver nenhum tecido.  — Digo, entre um beijo e outro.

Ela não escuta, não responde. Apenas me beija, rebola e dá um jeito de provoca-lo com as mãos.

Sinto que vou enlouquecer se ela ficar assim por muito tempo. Retomo o comando da situação e a jogo na cama. Tiro minha cueca tão rápido que acho que bati um recorde. A preencho de uma só vez e vejo a sensação de alívio nos invadir. Ela prende as pernas em mim e com um ritmo frenético, eu a tomo toda. Ela geme, sussurra meu nome e agarra o lençol com força.

Escuto meus urros e me seguro enquanto espero a redenção dela se aproximar também. Começo a fazer estímulos com a mão e ela começa a gemer mais rápido. Ela fecha os olhos, puxa o lençol e grita um “Aí meu Deus!”.

Achamos a redenção juntos, meu corpo caindo no dela enquanto recuperamos o fôlego.

— Em oito partidas eu fui a que mais matou. Você me fez perder todo o XP porque não sabe se controlar e não deixou que eu completasse as quinze. Eu te odeio! — Lamentou, me empurrando para o lado.

— Não parecia me odiar cinco minutos atrás.

— É difícil parecer te odiar quando você está no meio das minhas pernas me enlouquecendo.

— E é difícil me controlar quando tem uma linda jogadora de CS com a bunda para o alto na minha cama. — respondo, sorrindo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *